segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Pontos Turísticos no Centro de Belo Horizonte - BH

Um passeio pelo centro de Belo Horizonte (BH)


1 - Parque Municipal Américo Renné Giannetti 


Parque Municipal Américo Renné Giannetti 
O parque foi inaugurado em 26/09/1897, projetado no final do século XIX pela construtora encarregada de planejar a nova capital de Minas Gerais. Possui uma área de 182 mil metros quadrados de extensa vegetação. Abriga o Teatro Francisco Nunes, o Orquidário, um pequeno parque de diversões e a parte dos fundos do Palácio das Artes.


2 - Feira de artesanato dominical da avenida Afonso Pena

Feira de artesanato dominical da avenida Afonso Pena - BH
A feira livre acontece aos domingos reunindo uma grande quantidade de expositores e há uma grande quantidade de ônibus de excursão das cidades circunvizinhas que vão a feira atrás de oportunidades de negócios e preço baixo.   

3 - Uma parada na Paróquia de São José  







A Paróquia São José foi criada em 27 de janeiro de 1900, por Dom Silvério Gomes Pimenta, e entregue aos Missionários Redentoristas para o seu cuidado pastoral.
A pedra fundamental da igreja foi lançada em 20 de abril de 1902, começando a ser utilizada como matriz em 19 de março de 1904. Em 1910, foi construída a escadaria principal e, entre 1911 e 1912, realizou-se a pintura do seu interior.
Há mais de cem anos, este lugar é privilegiado de religiosidade, cultura, manifestações e encontros na cidade de Belo Horizonte.


Arquitetura

O projeto arquitetônico do templo foi elaborado por Edgard Nascentes Coelho e as obras foram dirigidas pelo irmão redentorista holandês Gregório Mulders.

Pinturas internas
A ornamentação pictórica da igreja foi executada pelo pintor alemão Guilherme Schumacher, entre 1911 e 1912, com a utilização do método de moldes. Em oito quadros, junto ao forro da nave central, é retratada a vida de São José desde o seu compromisso com Maria até a sua morte passando pelo nascimento de Jesus Cristo, a apresentação no templo, a fuga para o Egito, o encontro de Jesus no templo e a sua profissão de carpinteiro. 

No presbitério, encontramos a representação da Santíssima Trindade no eixo principal ladeada de figuras de reis, rainhas, bispos, homens e mulheres, além de uma corte de anjos.


Funcionamento - seg a dom das 07:00 às 20:00.

4 - Museu de Artes e Ofícios

Museu de Artes e Oficios

Museu de Artes e Ofícios
A criação da Praça da Estação coincide com a fundação de Belo Horizonte no final do século XIX.
Em outubro de 2000, ao comemorar dois anos de existência, o Instituto Cultural Flávio Gutierrez anunciou a decisão de implantar o Museu de Artes e Ofícios, com o apoio do Ministério da Cultura e da CBTU – Companhia Brasileira de Trens Urbanos. O museu foi planejado para receber uma importante coleção organizada ao longo da vida por Angela Gutierrez, presidente do ICFG, com acervo bastante representativo da história do trabalho pré-industrial no país. 


Funcionamento - seg a sex das 12:00 às 19:00 / sab , dom e feriados 11:00 às 17:00h
Entrada - R$5,00 - sábado grátis.

5 - 
Mercado Central


Mercado Central
Belo Horizonte tinha apenas 31 anos quando um prefeito empreendedor resolveu reunir, em um só local, os produtos destinados ao abastecimento dos 47.000 habitantes da jovem cidade. Foi assim que o Mercado Central nasceu, no dia 7 de setembro de 1929, unindo as feiras da Praça da Estação e da praça da atual rodoviária, em um terreno de 22 lotes próximo à Praça Raul Soares. O prefeito Cristiano Machado reuniu todos os feirantes centralizando o abastecimento da população. Nos 14.000 m² do terreno descoberto, circundado pelas carroças que transportavam os produtos, as barracas de madeira se enfileiravam para a venda de alimentos.

Funcionamento - seg a sab das 07:00 às 18:00 / dom e feriados 07:00 às 13:00h

6 - Centro de Arte Popular - CEMIG


//Centro de Arte Popular - Cemig
Inaugurado em março de 2012, o Centro de Arte Popular CEMIG é um espaço dedicado às expressões de arte criadas pelo homem ao longo dos tempos no espaço que corresponde ao Estado de Minas Gerais. A escolha dos objetos para compor o acervo do CAP foi norteada por dois eixos: a territorialidade, que buscou contemplar as diversas regiões do Estado, e a temporalidade, sem se prender necessariamente a uma leitura linear do tempo.
Os aspectos culturais de Minas Gerais estão aqui retratados através de peças datadas dos séculos XIX, XX e XXI e confeccionadas dos mais diferentes materiais (madeira, metal, pedra-sabão, terracota, papel, cerragem, cerâmica, fibras vegetais etc.) utilizando as mais variadas técnicas desenvolvidas pelo saber humano (pintura, escultura, tecelagem, recorte, montagem etc.) e tendo como origem lugares como Ouro Preto, Mariana, Tiradentes, o Vale do Jequitinhonha, São João del Rey, Araxá, Belo Horizonte, Sabará, Sete Lagoas etc. 


Funcionamento - ter, quar e sex das 10:00 às 19:00 / qui - 12:00 às 21:00 / sab e dom 12:00 as 19:00h.

7 - Memorial Minas Gerais Vale


Memorial Minas Gerais Vale
Aberto em 2010, o prédio que abriga o Memorial Vale era a sede da Secretaria do Estado da Fazenda de Minas Gerais. A edificação histórica datada de 1897 é o local onde foi lançada a pedra fundamental da cidade de Belo Horizonte. A construção é tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG.

8 - MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal

Museu das Minas e do Metal - MM Gerdau


Museu das Minas e do Metal
No dia 12 de dezembro de 2014, o Prédio Rosa, sede do Museu, completou 120 anos, junto com a cidade de Belo Horizonte.
Com a concepção museográfica de Marcello Dantas e projeto arquitetônico de Paulo Mendes da Rocha e Pedro Mendes da Rocha, o MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal utiliza a tecnologia de forma lúdica e criativa para apresentar esse fascinante universo dos metais, dos minerais e seus componentes. 

Em 18 salas, estão instaladas 44 atrações sobre o tema. Onze instalações são dedicadas às principais minas do Estado. Elas ganham vida e são apresentadas por Dom Pedro II, sua esposa, a Imperatriz Teresa Cristina, o Barão de Eschewege, Xica da Silva e outros personagens históricos e fictícios.


Funcionamento - ter a dom das 12:00 às 18:00 / qui - 12:00 às 22:00
Entrada gratuita

9 - Espaço do Conhecimento UFMG


Espaço do Conhecimento UFMG

Espaço do Conhecimento UFMG

PLANETÁRIO
O Planetário do Espaço do Conhecimento exibe filmes ligados à astronomia com programação voltada para crianças e adultos. Em ocasiões especiais, oferece também sessões com projeções astronômicas comentadas.
INGRESSOS - INTEIRA: R$ 6,00



TERRAÇO ASTRONÔMICO
Funcionamento:
Devido à necessidade de céu com poucas nuvens para a observação, o terraço astronômico é aberto apenas no período seco do ano.
Período de funcionamento: abril a outubro
Dias e horários: toda quinta-feira, às 19h e às 21h

EXPOSIÇÃO PRINCIPAL
A aventura do conhecimento humano

A questão básica sobre a busca do conhecimento e a compreensão do universo é o ponto de partida da exposição DEMASIADO HUMANO, que ocupa três andares do Espaço do Conhecimento UFMG e se divide em “O Aleph”, “Origens”e “Vertentes”. Utiliza diversos recursos audiovisuais e interativos, possibilitando ao público uma experiência visual, tátil, sensorial.

O título da exposição inspira-se numa das obras do filósofo Friedrich Nietzsche, “Humano, Demasiado Humano: um livro para espíritos livres”, e pretende apontar os modos como nossa civilização vê e constrói o mundo através dos tempos. O conhecimento em suas diversas formas: poéticas, filosóficas, científicas e tecnológicas.


Funcionamento - ter a dom das 10:00 às 17:00 / qui - 10:00 às 21:00
Entrada gratuita no museu.

10 - Centro Cultural Banco do Brasil



Centro Cultural Banco do Brasil

O prédio que abriga o CCBB Belo Horizonte, na Praça da Liberdade, teve sua construção iniciada em 1926. O arquiteto Luiz Signorelli, fundador da Escola de Arquitetura da Universidade de Minas Gerais, recebeu a incumbência de elaborar um projeto para as instalações da então Secretaria de Segurança e Assistência Pública, extinta justamente na data de inauguração do prédio, no dia 7 de setembro de 1930.
Pouco tempo depois, a sede da Secretaria do Interior, que anexara a Segurança e Assistência Pública, foi transformada no Comando Geral das Forças Revolucionárias, durante a Revolução de 1930. Mais recentemente, o local abrigava a Secretaria da Defesa Social e a Procuradoria Geral do Estado.
Em agosto de 2009, foram iniciadas oficialmente as obras de restauração e adaptação do prédio onde viria a funcionar o CCBB Belo Horizonte.
Inaugurado em 27 de agosto de 2013, o CCBB Belo Horizonte é resultado de uma parceria entre o Banco do Brasil e o Governo do Estado de Minas Gerais e integra o Circuito Liberdade, complexo de antigos prédios da administração pública que se tornaram espaços de cultura, artes e lazer, em um dos mais belos cartões postais da capital mineira. É a sexta instituição cultural mais visitada no Brasil e a 95º no mundo, de acordo com o ranking da publicação inglesa The Art Newspaper (abril/2014).
O prédio possui uma área construída de aproximadamente 12.000m². O CCBB ocupa, atualmente, 8.000 m² desse total.

Funcionamento: qua a seg das 9:00h às 21:00

d


Chegando de Avião em BH.

Opções para se chegar ao centro de BH.

Taxi - o valor da corrida até o centro de BH custa em media R$120,00 (bandeira 1)

Ônibus: existem duas empresas que fazem o traslado.

BHTrans - Move

O valor do traslado esta em R$30,70.


Conexão Aeroporto - Expresso Unir


A conexão do aeroporto ao centro da cidade da empresa UNIR tem diferenças entre as tarifas e qualidade do serviço.
Convencional - R$10,70
Executivo - R$23,70





Horários de Ônibus aeroporto x Centro 

Circuito Cultural BH

Boa viagem

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *