quarta-feira, 29 de outubro de 2014

VIAGEM ROMA,FLORENÇA,VENEZA E PARIS - FLORENÇA

Florença -  Segunda parte.

Faça parte deste blog você também, mande sua experiência, roteiro ou sugestão para semdivisas@gmail.com que publicaremos sua aventura.

Estas dicas foram enviadas por um colaborador que fez esta viagem em 2012, iniciando em Roma e terminando em Paris, dividimos o historia em 4 partes, sendo uma para cada cidade, respeitando a ordem da viagem.

Placa do Centro Antigo, Ponte Vecchio, Igreja de Santa Maria Novella,  Estatua de Netuno e Duomo

FLORENÇA

·         http://dicasderoma.com.br/cron.php?rand=1336557742ROMA PARA FLORENÇA PARAR EM ASSIS.

Em seguida, continuando vagamente para o norte mas agora desviando da auto-estrada para a direita, sugiro rumar para Assisi, como se chama em italiano a cidade de São Francisco de Assis. É uma pequena joia. Ainda está de pé a basílica de São Francisco, consagrada em 1253. Não que seja tão bonita comparada com as grandes catedrais como São Pedro e outras, mas não deixa de ser emocionante ver um monumento tão antigo, do tempo de um santo que eu não sabia bem se era verdadeiro ou um mito, ao estilo de São Jorge, que nunca existiu. Vale a pena percorrer a pequena cidade inteira, o que não toma mais de meia hora a pé, admirar as pequenas casas e as ruas estreitas — parece uma cidade de bonecas. Mas não, é uma cidadezinha viva, há pessoas morando naquelas casas. Andando por entre essas ruazinhas, chega-se a compreender porque a Fiat fez sua fama fazendo carros tão pequenos: eram os únicos que podiam andar nesses lugares. Vale visitar também o Castelo Medieval.



Saída para Florença-Carro-05/09/2012-Quarta-Feira
Ir para Assis-pegar

Como Chegar a Assis?


A cidade de Assis está localizada na região central de Itália, Umbria a 27Km de Perugia, principal cidade da região e a 203 km a norte de Roma. É fácil chegar a Assis e está bem servida por boas auto-estradas. 

Para chegar a Assis de carro:
·         vindo de Norte: saia da auto-estrada A1 na saída Val di Chiana;
vindo de Sul: saia da auto-estrada A1 na saída Orte.






Para chegar a Assis de comboio:
·         vindo de Norte: a linha é a " Florence-Rome", com mudança de linha em "Terontola" para a linha "Terontola-Perugia-Foligno" ;
·         vindo do Sul: a linha é a "Rome-Ancona", com mudança de linha em "Foligno" para a linha "Foligno-Perugia-Terontola".
         

Distâncias em km, entre algumas cidades



De
a Assis
Perugia
Terni
Viterbo
Roma
Milano
Firenze
Venezia
Napoli
23 km
59 km
153 km
203 km
523 km
173 km
503 km
423 km

COMPRAS


Pra quem gosta de compras:
1) Se você quer comprar camisetas, casacos de moletom etc, espere um pouco se você pretende ir a Florença: na Piazza Michelangelo é bem mais em conta: paguei 5 euros em camisetas que custavam entre 9 e 12 euros em Veneza e 10 EUROS num moletom universitário que custava 27 euros em Veneza... sabe o I love Venezia? Pois é...
A primeira dica com mais de mil calorias é o Golden View. Ele fica dentro de um hotel, nas margens do Rio Arno.Para quem está caminhando no sentido Duomo-Palacio Pitti, fica no lado esquerdo, depois que passa a ponte. Aqui o ponto forte não é a comida. Mas sim a vista para um dos pontos mais lindos de Florença: a Ponte Vecchio. Não digo que a comida não seja boa. Ela é gostosa, bem feitinha, OK. Não vai ser a melhor da sua viagem, mas vale muito ver toda aquela maravilha na sua janela. Lembro que gastei com entrada,bebida e prato principal uns 25 euros. Não tão caro quando se considera a localização do Golden View.
Endereço:VIA DEI BARDI 58r
Via dela spada 27r

A Trattoria Marione foi uma dica que arrematei com o dono da escola Marangoni, em Florença. Ele já é um senhor, nascido e criado na cidade. Perguntei assim: quando você quer comer a comida da mama, onde você vai? Ele já mandou o Marione. Por coincidência ele era bem do ladinho do nosso hotel. Paramos para o almoço e hummmmmmm!!! A melhor comida da viagem! Afff, salivei! kkkkk! Pedi ossobuco de vitela.Derretendo. Gastei, com tudo entrada+bebida+prato principal), uns 20 euros. Não deixe de ir!


Basilica di San Lorenzo e CappelleMedicee (Basilica di San Lorenzo: Piazza San Lorenzo, 055/214-042. 2a/sáb 10h/17h. € 2,50. Cappelle Medicee: Piazza Madonna degliAldobrandini, 6, 055/2388-602, www.firenzemusei.it/medicee8h15/17h, fecha na 1a, 3a e 5a segundas-feiras do mês e no 2° e 4° domingos. €6. Reservas, € 4 de taxa, pelo telefone 055/294-883 ou no site b-ticket.com/b-ticket/uffizi/): uma boa forma de conhecer obras produzidas especialmente para os maiores mecenas da história de Florença. Os túmulos dos Médici são as atrações mais procuradas, tanto na igreja de San Lorenzo quanto na CappelleMedicee. A primeira abriga a Sagrestia Vecchia, com projeto de Brunelleschi, esculturas de Donatello (o artista também foi enterrado em San Lorenzo) e túmulos de quatro Médici famosos. As segundas (as capelas dos Médici) formam um mausoléu da família, anexo à igreja. O ponto alto é a SagrestiaNuova, com arquitetura e três túmulos assinados por Michelangelo.



Basilicadi Santa Croce (Piazza Santa Croce, 16, 055/246-6105, http://www.santacroce.firenze.it/2a/sáb 9h30/17h30, dom 13h/17h30. € 5): na mais interessante igreja de Florença, curiosamente os túmulos são as maiores atrações. Além de ser considerada uma obra-prima da arte gótica, ter capelas belíssimas e abrigar o Museodell’Operadi Santa Croce (não perca o Crucifixo, de Cimabue), a construção, iniciada em 1294 pelos franciscanos, tem os restos mortais de 270 importantes moradores da cidade, como o artista Michelangelo, o filósofo político Maquiavel e o cientista Galileu Galilei.

Basilicadi Santa Maria Novella (Piazza Santa Maria Novella, 055/282-187, http://www.smn.it/2 a/5a 9h30/17h, 6a/dom 13h/17h. € 2,70): a igreja gótica foi construída pelos dominicanos entre 1279 e 1357, mas a atual fachada renascentista começou a ganhar contornos no final do século 15. Uma pintura de efeito tridimensional de Masaccio (Trindade) e três ciclos de afrescos de FilippinoLippi (CappelladiFilippoStrozzi), de Ghirlandaio (coro) e de Nardo diCione (CappelaStrozzi) são as estrelas do interior do templo.

Battistero (Piazza delDuomo, 055/230-2885, http://www.operaduomo.firenze.it/2a/sáb 12h15/19h, dom 8h30/14h. € 4): é a construção mais antiga do conjunto que poderia ser chamado de “santíssima trindade arquitetônica” da Piazza delDuomo, composto, também, pela famosa catedral e pelo campanário. As grandes atrações do batistério, erguido entre os séculos 6 e 7, são as portas, principalmente as da face leste, chamadas por Michelangelo de Portão do Paraíso (a autoria é de Lorenzo Ghiberti, 1425-1452). Engana-se quem despreza uma visita interna. Os painéis do teto de mosaico, elaborados por artesãos venezianos, são deslumbrantes.

Campanile (Piazza delDuomo, 055/230-2885,http://www.operaduomo.firenze.it/. 8h30/19h30. € 6): a torre do sino da catedral tem 82 metros de altura, não tem elevador, mas dispõe de bons pontos de descanso na subida até o topo. As maiores riquezas do campanário, iniciado em 1334 sob a orientação do pintor Giotto, estão mesmo na fachada e nos relevos de terracota de Andrea Pisano.

Cappella Brancacci (Chiesadi Santa Maria del Carmine, Piazza del Carmine, 055/238-2195. 4a/sáb 10h/17h, dom 13h/17h. € 4): da poderosa série “capelas imperdíveis de Florença”, esta tem pinturas renascentistas com inovações estilísticas marcantes (realismo, narrativa dramática e domínio da perspectiva) que influenciariam pintores das gerações seguintes. Uma curiosidade: os afrescos da dupla Masaccio e Masolino foram interrompidos em 1436 e concluídos 50 anos depois por outro artista do Renascimento, FilippinoLippi.

Casa Buonarroti (Via Ghibellina, 70, 055/241-752, http://www.casabuonarroti.it/
4a/2a 9h30/14h. € 6,50): três pequenas casas que já pertenceram a Michelangelo Buonarroti abrigam um museu dedicado ao artista, com (verdade seja dita) trabalhos menores do gênio do Renascimento.

Casa di Dante (Via Santa Margherita, 1, 055/219-416, http://www.museocasadidante.it/Out/mar: 3a/dom 10h/17h; abr/set: 10h/18h. € 3): um dos mais famosos poetas italianos nasceu em algum lugar por aqui (no ano de 1265), mas não na chamada Casa di Dante, uma construção com ares medievais transformada em um modesto museu. Se por um lado o acervo não emociona muito, dá para entrar no clima transitando por duas igrejas ligadas à vida de Alighieri: a San Martino delVescoso, na frente da Casa di Dante (era a igreja da família Alighieri), e a Badia Fiorentina, onde o poeta parece ter visto a amada Beatriz pela primeira vez.

Duomo (Piazza delDuomo, 230-2885, www.operaduomo.firenze.it. 2a/4a e 6a 10h/17h, sáb 10h/16h45, dom 13h30/16h45. A entrada é grátis, € 8 para a cúpula.Catedral fecha aos domingos pela manhã e duomo fecha aos domingos): a catedral de Florença, com uma arquitetura gótica bem peculiar, começou a ser construída em 1296 e demorou séculos para ser concluída. A consagração veio apenas em 1436, porém, a frente inacabada foi demolida em 1587 e reconstruída depois. A fachada, um pastiche gótico, data de 1887. O interior simples contrasta com a imponência externa. Prova disso é que os grandes atrativos estão um pouco escondidos dos olhos, na cripta (ruínas de Santa Reparata, a antiga igreja que existia no local) e na cúpula de Brunelleschi com afresco de Giorgio Vasari (O Juízo Final, 1572-79).



(PiazzaledegliUffizi, 6, 055/238-8651, www.firenzemusei.it/uffizi. 3a/dom 8h15/18h50. € 6,50. Reservas, € 4 de taxa, pelo telefone 055/294-883 ou no site www.b-ticket.com/b-ticket/uffizi/): há fila em qualquer horário e época do ano para conhecer o mais importante acervo de pinturas renascentistas do mundo. Respire fundo e encare. O prédio da Uffizi foi construído em 1560 por Cosime I, grão-duque da família Médici, a mesma que controlou a cidade no período mais rico da história florentina (entre os séculos 14 e 16). Hoje, as 45 salas criadas para serem escritórios(os uffizi) abrigam a fantástica coleção de pinturas reunida pelos Médici. Dá para gastar um dia inteiro em uma visita atenta, mas a série incontornável é formada pelas três representações da Maestà (Madona Entronizada), de Giotto, Cimabue e Duccio (sala 3); A Primavera e O Nascimento de Vênus, de Botticelli, as obras mais famosas da galeria (salas 10-14); DoniTondo (ou Sagrada Família), de Michelangelo (sala 25); Madona de Goldfinch, de Rafael, e Vênus de Urbino, de Ticiano (ambas na sala 26).

www.b-ticket.com/b-ticket/uffizi: instalada em um prédio de 1784, só perde em popularidade para a GalleriadegliUffizi. O motivo do sucesso é um só: o museu abriga a imagem mais famosa do Renascimento, o original Davi, de Michelangelo.

Giardino di Boboli (Piazza Pitti, 1, 055/238-8786, www.firenzemusei.it/boboli. Nov/fev: 8h15/16h30; mar: 8h15/17h30; abr/mai: 8h15/18h30; jun/ago: 8h15/19h30; set/out: 8h15/18h30; fecha na 1a e última segunda-feira do mês. € 6 - também vale para GiardinoBardini, MuseodegliArgenti, MuseodellePorcellane e Galleriadel Costume): é o necessário respiro ao ar livre no circuito de museus e igrejas. Aberto desde 1766, o principal parque da cidade é um perfeito exemplo da jardinagem renascentista e pertence ao complexo do PalazzoPitti.
Museo degli Argenti (Piazza Pitti, 1, 055/294-883, www.firenzemusei.it/argenti. Nov/fev: 8h15/16h30; mar: 8h15/17h30; abr/mai 8h15/18h30; jun/ago: 8h15/19h30; set/out: 8h15/18h30 fecha na 1a e na última segunda-feira do mês. € 6 - também vale para o GiardinodiBoboli, o MuseodellePorcellane, a Galleriadel Costume e o GiardinoBardini): aqui está outro importante tesouro dos Médici que foge das pinturas e esculturas. Há os famosos vasos em pedra dura de Lorenzo, o Magnífico, os cammei (pequenas joias entalhadas) de Cosimo I, os cristais de Francesco I, a prataria que dá nome ao museu, trazida de Salzburgo, na Áustria, por Ferdinando II de Habsburgo-Lorena (1815), e as coleções de joias, do século 17 aos tempos atuais.
Museo del Bargello (Via delProconsolo, 4, 055/238-8606, www.firenzemusei.it/bargello. Abr/jul: 8h15/17h; ago/mar: 8h15/13h50; fecha no 1o, 3o e 5o domingos do mês e na 2a e 4a segundas-feiras. € 4): é uma visita indispensável para os aficionados em esculturas. No piso térreo reinam as obras de Michelangelo: Baco, Madona com o Menino e Brutus. No primeiro andar, Donatello rouba a atenção com as duas representações de São Jorge, o Marzocco de pedra (símbolo heráldico de Florença) e também um polêmico Davi, com seu visual andrógino.
Museo dell’Opera del Duomo (Piazza delDuomo, 9, 055/230-2885, operaduomo.firenze.it. 2a/sáb 9h/19h30, dom 9h/13h45. € 6): aqui são exibidas as obras de arte removidas da catedral, do batistério e do campanário. É o caso dos painéis dos Portões do Paraíso, de Lorenzo Ghiberti (batistério); das Tribunas do Coro, de Donatello e LuccadellaRobbia (Duomo); e da escultura de Abacuc, de Donatello. Mas os visitantes acabam destinando mais tempo para admirar uma obra inacabada de Michelangelo, a Pietà. A escultura foi danificada por ele em um ataque de fúria, movido pela insatisfação com o resultado. Um discípulo reparou o estrago tempos depois.

Museo di Firenze Com’Era (Via dell’Oriuolo, 24, 055/261-6788, www.museiragazzifirenze.it/firenze_comera.html. 2a/sáb 9h30/17h, dom 9h30/14h. € 2,70): o nome diz tudo. O museu tem em seu acervo pinturas e impressos topográficos que mostram cenários de como era a cidade, desde o Renascimento até o século passado.
Museo di San Marco (Piazza San Marco, 3, 055/294-883, www.firenzemusei.it/sanmarco. 2a/6a 8h15/13h50, sáb 8h15/18h50, dom 8h15/16h50; fecha no 1o, 3o e 5o domingos do mês e na 2a e 4a segundas-feiras. € 4): se você gosta das obras de FraAngelico, esta é uma atração obrigatória. O prédio da segunda metade do século 15, financiado por Cosme de’Médici, já fez parte do convento dominicano de San Marco. Hoje é um museu dedicado ao monge, um dos mais talentosos pintores do Renascimento.
Museo di Storia della Scienza (Piazza de’Giudici, 1, 055/265-311, www.imss.fi.it/museo. 2a 9h30/17h, 3a 9h30/13h, 4a/6a 9h30/17h, sáb 9h30/13h. € 4): seria um estranho no ninho se a cidade não tivesse sido adotada por um dos mais famosos cientistas da história, Galileu Galilei (ele nasceu em Pisa, mas foi enterrado aqui). O museu, dedicado a ele, tem como principais atrações os telescópios de Galileu, e construções em larga escala de alguns dos seus experimentos e globos dos séculos 16 e 17 que ilustram o movimento de planetas e estrelas.

Palazzo Davanzati (Via Porta Rossa, 13, 055/238-8610, www.firenzemusei.it/davanzati. 2a/dom 8h15/13h50; fecha no 1o, 3o e 5o domingos do mês e na 2a e 4a segundas-feiras. Grátis): um prato cheio para os interessados na Idade Média. O palácio, do século 14, tem fachada, cômodos e afrescos característicos do período.

Palazzo Medici-Riccardi (Via Cavour, 3, 055/276-0340, http://www.palazzomedici.it/. 5a/3a 9h/19h.
€ 7. A capela pode receber no máximo oito visitantes a cada sete minutos - é recomendável agendar a visita por telefone): o que atrai são os três painéis de BenozzoGozzoli, discípulo de FraAngelico, na Cappella dei Magi. Os afrescos têm como mote principal A Viagem dos Reis Magos, mas o cenário com ricos detalhes traz representações de membros da família Médici e do próprio autor.
Palazzo Pitti (Piazza Pitti, 1, 055/238-8614, www.firenzemusei.it/palatina. 3a/dom 8h15/18h50. € 8,50 e € 11,50 para todos os museus e jardins do palácio, validade de três dias): a construção de 1460 foi financiada pela família Pitti, uma dinastia de banqueiros. Mas a obra ficou tão cara que eles foram obrigados a vender o palácio para Cosme I, representante do clã dos Médici. Hoje a imponente construção projetada por FilippoBrunelleschi abriga um conjunto de museus. Se você não tiver chance de visitar todos, invista suas fichas na Galleria Palatina, cujo acervo é uma verdadeira overdose de famosos pintores italianos: Rafael, Ticiano, Caravaggio, FilippoLippi, Andrea delSarto e Tintoretto.

Piazza della Signoria: é o melhor museu a céu aberto de Florença. Lá, entre a imponência do Palazzo Vecchio e um dos melhores chocolates quentes do mundo (o do Café Rivoire), estão esculturas célebres do Renascimento (ou suas cópias), como a do duque de Médici no seu cavalo, de Giambologna; a fonte de Netuno, de Ammannati; Il Marzocco, de Donatello (a original está no MuseodelBargello); Hércules e Caco, de Bandinelli; Perseu, de Cellini; O Rapto das Sabinas, de Giambologna; e a cópia da mais famosa delas, o Davi, de Michelangelo. Ao lado, turistas com a Ponte Vecchio ao fundo; e, no alto, a Piazza dellaSignoria, dominada pelo Palazzo Vecchio.

Piazzale Michelangelo: do alto desta colina é possível admirar todo o centro histórico da cidade, ter uma visão privilegiada do Rio Arno, reconhecer que Florença é um mosaico de elementos medievais, góticos e renascentistas, e admirar tranquilamente o Davi, de Michelangelo (uma das cópias, é claro)
. € 7. A capela pode receber no máximo oito visitantes a cada sete minutos - é recomendável agendar a visita por telefone): o que atrai são os três painéis de BenozzoGozzoli, discípulo de FraAngelico, na Cappella dei Magi. Os afrescos têm como mote principal A Viagem dos Reis Magos, mas o cenário com ricos detalhes traz representações de membros da família Médici e do próprio autor.

Ponte Vecchio: o mais famoso cartão-postal de Florença, acredite, não é obra do Renascimento. A Ponte Vecchio foi construída em 1345 e, primeiramente, abrigou lojas de peixeiros e açougueiros. Tempos depois, os curtumes tomaram conta do lugar, mas o maior problema da ocupação seguiu firme e forte: a poluição do rio (usado como depósito de lixo pelos comerciantes). A questão ambiental só foi resolvida muito tempo depois, no final do século 16, quando o grão-duque Fernando I expulsou os ocupantes da ponte e alugou o espaço para cerca de 50 joalheiros e ourives. Muitos descendentes desse grupo são os proprietários atuais das belas lojas com venezianas de madeira (que já sobreviveram aos bombardeios nazistas em 1944 e à grande enchente de 1966).

Onde comer

Del Fagioli (Corso Tintori, 47R, 55-244-285, 12h30/14h30 e 19h30/22h30, de segunda a sexta, fecha em agosto; Cc: todos): típica trattoria toscana. Serve a autêntica comida florentina com diversas massas e molhos no cardápio.

Trattoria Cibreo-Cibreino (Via dei Macci, 122, 55-234-1100, 12h50/14h30 e 19h30/23h de terça a domingo): este restaurante é um “filhote” do chique e caro Cibreo, mas tem cozinha igualmente boa, a preços bem mais acessíveis.

Tratoria Za-Za (Piazza delMercatoCentrale, 26R, 55-215-411, http://www.trattoriazaza.it/, 11h/23h, de segunda a sábado; Cc: todos): ótimas massas e uma das melhores bistecas alla fiorentina da cidade. De sobremesa, peça o biscoito cantuccini com Vinho Santo.


Buca Di San Francesco (Via San Francesco, 1, 575-23-271, http://www.bucadisanfrancesco.it/, 12h/14h30 e 19h/21h30, de quarta a segunda; Cc: todos): ao lado da Basilicadi San Francesco, serve especialidades toscanas.

Trattoria Il Saraceno (Via Mazzini, 6, 575-27-644, http://www.ilsaraceno.com/, 13h/17h e 19h/23h; Cc: todos): boas massas e carnes de caça. Prove o coelho com batatas assadas ao finocchio.


O que você precisa saber sobre Florença:
- O DDI é (39) e você liga para o Brasil a cobrar pela Embratel pelo telefone 800.172.211.
- Não há muitas linhas de metro, prepare-se para caminhar bastante! Afinal quase tudo fica no centro histórico.

- Se você pretende ir de metro, a estação central é a Santa Maria Novella (bem pertinho da igreja com o mesmo nome da estação).

- Não deixe (claro se possível), vá jantar no Sabatini, foi onde comi o melhor nhoque ao pesto da minha vida, visto que, não gosto muito de molho pesto! O restaurante fica na Via dei Panzani 9/A.

- Imperdivel: ir ao Galleriadell'Accademia, não sei nem explicar a sensação quando vi do David. Pense que esta escultura foi feita em 1501, encomendada a Michelango pela Opera delDuomo. Sabe por que esta obra foi a escolhida? O tema foi David derrotando Golias, que pela semelhança com a história da época da cidade, que recordava a libertação da cidade do governo dos Medici e seu poder de enfrentar inimigos. Não foi só isso. A estátua foi esculpida em um único bloco (e fino) de mármore, considerado perigoso para trabalhar. A estátua foi feita em três anos e instalada na Piazza dellaSignoria. David permaneceu na praça até 1873 o que resultou em perda de luminosidade, o que levou ao Galleria.


- Faça o passei a pé da SantissimaAnnunziata até Santa Trinità (próximo ao museu Galleria), assegure meio dia para o passeio. Não deixe ver: ChiostrinodeiVoti, Museodi Firenze Com'era, Museu Bardini, Santa Felicità, PalazzoDavanzati e Santa Trinità.


Atividades

· Ponte Vechio
· Andar no Rio Arno
· Arredores da San Marco, galleria Dell Accademia e Convento di San Marco, Arredores do Duomo, Duomo e Batistério e Via dei calzaiuoili-mais animada da cidade-cheia de lojas


06/09/2012-Quinta-Feira
-Sangiminiano
-Siena

07/09/2012-Sexta-Feira
Manhã.

Galleria degla Ufizzi
Piazza dela Signora
Pallazo Vechio
Tarde
Galleria Dell Accademia
Palazzo Pitti

08/09/2012-Sabado
-Duomo e Batisterio
-Bargello
-Santa Croce

09/09/2012-ida para Veneza-Domingo
Ir a Pisa,Lucca

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Saint Tropez (English)

SAINT TROPEZ
Saint Tropez

We started the day early on the way to the famous beaches of Saint Tropez. We passed some beaches with clear and cold water, but a beautiful visual, we stopped in one of them, we took photos and enjoyed some of the landscape. There are public beaches and beaches with several beach clubs, where there are chairs and umbrellas. Each chooses, according to his "eurobolso". We decided to go to the public beach.


Saint Tropez Beach

Then we head to the historic center of Saint Tropez, after many minutes looking for a parking space, went for a walk.

Streets of trade
I was surprised with the old buildings, colorful, but some well decayed. It feels good go through the historical streets.
Saint Tropez Lanes

For those who want to shop there are shops everywhere.


Shopping Street
There were many yachts moored in the harbor, many great but some really huge, a real competition which is better, with several people in the harbor taking pictures and admiring them. We walked across the edge of the harbor, where there are many restaurants and ice cream parlors.

Marina
We decided to continue the trip because the traffic out of Saint Tropez was not pleasant.

Some sites to help you in your search for Saint Tropez

http://br.rendezvousenfrance.com/pt-br/a-descobrir/em-saint-tropez
http://uk.sainttropeztourisme.com/
http://www.saint-tropez.fr

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Saint Tropez - Sul da França

SAINT TROPEZ
Saint Tropez

Começamos o dia cedo a caminho das famosas praias de Saint Tropez. Belíssimo dia de sol, praias cheias e muuiito transito!!!! Passamos por algumas praias com águas claras, fria, mas um belo visual, paramos numa delas, tiramos umas fotos, desfrutamos um pouco da paisagem. Há praias publicas e praias com vários beach clubs, onde há cadeiras e guarda sol. Cada um escolhe , de acordo com seu "eurobolso". Como não íamos ficar muitas horas na praia, optamos pela publica.


praia Saint Tropez

Depois nos dirigimos para o centrinho histórico de Saint Tropez , após muitos minutos a procura de vaga no estacionamento pago, fomos caminhar.

ruas do comercio
Me surpreendi com os antigos prédios, coloridos, mas alguns bem deteriorados. É gostoso percorrer as ruelas históricas.

ruelas de Saint Tropez

Para quem quer fazer compras há lojas para todo lado e bolso.


Rua de compras
Havia vários iates atracados no porto, muitos grandes mas alguns realmente imensos, uma verdadeira competição de qual é o melhor, com várias pessoas no porto tirando fotos e admirando-os. Passeamos por toda orla do porto, onde há varios restaurantes e sorveterias.

Marina
Após passearmos bastante resolvemos seguir viagem pois o transito para sair de Saint Tropez não estava nada agradável.


Alguns Sites para ajuda-lo na sua busca por Saint Tropez

http://br.rendezvousenfrance.com/pt-br/a-descobrir/em-saint-tropez
http://uk.sainttropeztourisme.com/
http://www.saint-tropez.fr


domingo, 12 de outubro de 2014

Gordes, Apt com Château de la Barben Sul da França Roteiro


Parque Nacional do Luberon


Gordes

Começamos o dia em direção ao Castelo de La Barben, situado a 20 Km de Aix.

Castelo de La Barben
O castelo, com vários seculos de existência, já foi propriedade de um rei (rei René) e sua casa de hóspedes já abrigou vários personalidades importantes da História. Atualmente se mantem como propriedade particular, mas alguns cômodos são abertos para visita guiada por uma "princesa", durante uma hora, com horários fixos, em inglês e francês. Há algumas atividades extras para crianças. O local também funciona como hotel. Há um zoológico, pago a parte, em outro local da propriedade. O castelo possui lindos jardins, principalmente vistos do alto.

Castelo de La Barben - Jardins
Por ser uma propriedade particular não é permitido fotografar dentro do castelo. Os aposentos visitados tem curiosidades, como a evolução do toallete, a cozinha medieval e outras peças.
Castelo de La Barben
É um passeio interessante, principalmente com crianças, porem com elas deve ser de um dia inteiro para aproveitar todas as atividades locais.
Após a visita ao Castelo seguimos viagem para Gordes. Outro lindo vilarejo no alto de um rochedo, presente desde a era Neolítica. No seculo 11 o vilarejo se desenvolveu em torno do castelo fortificado com vista para o Luberon.

Castelo
Chegando ao vilarejo estacionamos e nos dirigimos a pé para o centro de turismo , após mapa em mãos, almoçamos com vista para o centro.
castelo

Visitamos o castelo, que se encontra bastante danificado pois foi um forte, depois uma escola para meninos e atualmente funciona como um museu com algumas exposições de arte.
Castelo área interna
No momento de nossa visita havia uma exposição fotográfica belíssima.
Foto da Foto - reflexão

Conhecemos uma igreja  românica do seculo XII, essa Igreja de Gordes já foi dedicada a Nossa Senhora.
Reconstruída no século XVIII, foi então dedicada por dois séculos a seu patrono, São Firmino (Bispo de Uzes). Nela você pode ver Clastros como uma concha, um deles é dedicado a Saint-Jacques.

Igreja de Saint Firmin


Depois passeamos pelas pequenas ruelas de cima a baixo. O vento que corria pelas ruas era fortíssimo!!!!



Nos arredores de Gordes está a Abadia de Senanque, com seus lindos campos de lavanda.

Abadia de Senanque
Uma comunidade de monges cistercianos. Fundada em 1148, passou por algumas mudanças de proprietários retornando para a congregação religiosa em 1988. O monastério é atualmente habitado pelos monges porem permite-se visitas guiadas, somente em francês, por 01 hora, com vários horários diários.

Abadia de Senanque
Fizemos a visita, mesmo em francês, para conhecer o interior do local. Foi interessante!!

Abadia de Senanque - área interna e externa
Foi o melhor torrone (com mel de lavanda) que comi durante toda a viagem, e acredito o melhor de minha vida!!!
Retornando para Aix passamos por Lioux, parece uma cidade fantasma!! Imediatamente embaixo de um paredão imenso de pedra! enquanto tirávamos umas fotos apareceu um casal de senhores num prédio velhissimo, acabadissimo, que tinha uma inscrição na porta de entrada: hotel de ville (prefeitura). Ainda não sei se eram os fantasmas!!!

Lioux
Corremos para Apt.

Apt
O centro histórico já estava fechando, demos umas voltas, fomos a feirinha para umas rápidas comprinhas e lanchinhos. Que biscoitos caseiros!!!

Entrada pra centro Histórico de Apt
Dali vimos um vilarejo pendurando numa rocha. É logico que fomos para lá.


Fonte em frente das casas
O pequeno vilarejo no alto, muuuuito alto, de um rochedo se chama Saignon. Mais umas voltas, fomos a umas ruínas, com vistas maravilhosas do vale lá embaixo.



Em direção a Aix passamos por uma estradinha estreitíssima e chegamos em Loumarin, outra petit village. Fomos até o Château de Fontevert, que possui uma vinicola (vins du Luberon), mas pela hora já estava fechado, porem possui visitações interessantes durante o dia. Jantamos e nos dirigimos para o hotel em Aix. Fim de um dia belissimo mas muito cansativo. Amanhã vamos para uns dias em Nice, outra etapa dessa maravilhosa viagem.


Château de Fontevert

Dicas de Apt que não fizemos por falta de tempo!!


Apt tornou-se uma colônia romana e capital de uma das 19 colônias em "La Gaule Narbonnaise". A tradição também diz que Júlio César parou em Apt ao retornar de uma de suas campanhas na Espanha,  
Por causa das invasões que ocorreram entre o século 6 e, no ano 1000, as pessoas voltaram para as montanhas, no Luberon e Montes de Vaucluse, a fim de se defender. 
Alem dos campos de lavanda você pode também:

Museu de Arqueologia 

O museu foi construído sobre as ruínas de um antigo teatro romano, parte da herança romana da Apta Julia, juntamente com os banhos, necrópoles, edifícios públicos, fórum, templo, e fazendas.

Saint-Anne's Cathedral

A cripta inferior é parte do edifício romano é do primeiro século original usado como um local de culto. A cripta superior remonta ao século 11 e é composto de uma pequena nave (cerca de 8 metros ou 26 pés). Nas paredes estão sete alcovas contendo sarcófagos cristãos. O altar é composto de uma tabela pré-romana gravado colocado em cima de uma estela funerária romana com inscrições em três lados.

Mapa com o trajeto do dia.



Listamos os sites que nos ajudaram na organização de nossa viagem.

www.provenceweb.fr       
www.roussillon-provence.com
http://www.gordes-village.com/html/presentation2.html
www.chateaudelabarben.fr
www.senanque.fr
www.luberon-apt.fr
www.theluberon.com
www.fontvert.com
www.lourmarin.com

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Pontos Turísticos Clássicos do Rio de Janeiro

Neste Post vamos apresentar a vocês pontos turísticos Clássicos do Rio de Janeiro, diferente dos anteriores tem um preço um pouco mais elevado. Todos os locais de visitação possuem links com informações detalhadas e referências. Para ajuda-lo a se locomover clique no Post Como se Locomover no Rio de Janeiro ou faça a trajetória pelo Google Maps.
Foram adicionados mapas afim de facilitar o encontro do ponto turístico.

Confirme pelo site do local a ser visitado se este estará aberto na data requerida, o mesmo pode estar interditado para visitação por motivos de reforma ou por ter algum evento nas imediações.

Cristo Redentor


Cristo Redentor

O Cristo Redentor é um monumento que retrata Jesus Cristo, esta localizado no bairro Santa Teresa, na cidade do Rio de Janeiro. Situa-se no topo do Morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar, sua base tem 8 metros e a estatua 30 metros de altura, foi inaugurado em 12 de outubro de 1931. Em 2007 foi eleito uma das maravilhas do mundo. Mais informações no site http://www.sitedecuriosidades.com/.


http://semdivisas.blogspot.com.br/
Lagoa Rodrigo de Freitas vista do Cristo Redentor

Existem algumas formas de chegar ao Cristo:
1- Carro- se o visitante preferir usar carro ou moto, é só seguir pela Estrada das Paineiras em direção ao Corcovado. Atualmente existe uma restrição,  não se consegue mais chegar de carro próximo ao antigo estacionamento no pé do Cristo. O carro deve ficar na estação Paineiras e o resto da subida deve ser de trem. Mas atenção, é preciso comprar o ingresso com antecedência pela internet, no site www.corcovado.com.br.




2- De Metrô: Na hora de comprar a passagem de metro peça o bilhete de integração com o Cosme Velho. Desça na estação de metro Largo do Machado. Saia do metro na praça em frente a Igreja de Nossa Senhora da Glória. A sua esquerda está o ponto de ônibus que o levará para a estação de trem do Corcovado. No bairro Cosme Velho você deverá descer do ônibus em frente à estação do Trem que leva ao Corcovado.

http://semdivisas.blogspot.com.br/
Ônibus para o Cristo Redentor - Corcovado

Pão de Açúcar

Em 1912, foi inaugurado no Rio de Janeiro o BONDINHO DO PÃO DE AÇÚCAR marcando a inclusão do Brasil no mapa turístico mundial. A visão do morro da Urca em conjunto com o vai e vem dos bondinhos e o sobe o desce dos aviões do aeroporto Santos Dumont, estão incorporadas à paisagem carioca.
semdivisas
Pão de Açúcar
Origem do nome

Há várias versões históricas a respeito da origem do nome Pão de Açúcar. Segundo o historiador Vieira Fazenda, foram os portugueses que deram esse nome, pois durante o apogeu do cultivo da cana-de-açúcar no Brasil (século XVI e XVII), após a cana ser espremida e o caldo fervido e apurado, os blocos de açúcar eram colocados em uma forma de barro cônica para transportá-lo para a Europa, que era denominada pão de açúcar. A semelhança do penhasco carioca com aquela forma de barro teria originado o nome. Outros nomes dados ao penedo cronologicamente: “Pau-nh-açuquã” da língua Tupi, dado pelos Tamoios, os primitivos habitantes da Baía de Guanabara, significando “morro alto, isolado e pontudo”; “Pot de beurre” dado pelos franceses invasores da primeira leva; “Pão de Sucar” dado pelos primeiros colonizadores portugueses; “Pot de Sucre” dado pelos franceses invasores da segunda leva. Ortograficamente, segundo a anterior ortografia da Língua Portuguesa, “Pão de Assucar”, era com ss.


Pão de Açúcar


http://semdivisas.blogspot.com.br/
Bondinho do Pão de Açúcar


O nome Pão de Açúcar generalizou-se, a partir da segunda metade do século XIX, quando o Rio de Janeiro recebeu as missões artísticas do desenhista e pintor alemão Johann Moritz Rugendas e do artista gráfico francês Jean Baptiste Debret que, em magníficos desenhos e gravuras, exaltaram a beleza do Pão de Açúcar.

por do sol visto do Pão de Açúcar
Por do sol visto do Pão de Açúcar

Eventos
Réveillon do Morro
Arraial do Morro
Verão do Morro
Abertura da bilheteria – 08:00
Fechamento da bilheteria – 19:50
Para chegar ao Cristo e o Pão de Açúcar você pode simular pelo site do http://www.rioonibus.com/ 

http://www.rioguiaoficial.com.br/





Maracanã

A construção foi muito criticada por Carlos Lacerda, na época deputado federal e inimigo político do então prefeito da cidade, o general Ângelo Mendes de Morais, pelos gastos e também devido à localização escolhida para o estádio, defendendo que o mesmo fosse construído em Jacarepaguá. Ainda assim, apoiado pelo jornalista Mário Rodrigues Filho, Mendes de Morais conseguiu levar o projeto para frente. Na área escolhida, situava-se uma arena destinada à corrida de cavalos. A concorrência para a relização da obra foi aberta pela prefeitura do Rio de Janeiro em 1947, tendo como projeto arquitetônico vencedor o apresentado por Miguel Feldman, Waldir Ramos, Raphael Galvão, Oscar Valdetaro, Orlando Azevedo, Pedro Paulo Bernardes Bastos e Antônio Dias Carneiro

http://semdivisas.blogspot.com.br/
Maracanã em jogo da Copa

O projeto vencedor previa um estádio para 155.250 pessoas, sendo 93 mil lugares com assento, 31 mil lugares para pessoas em pé, 30 mil cadeiras cativas, 500 lugares para a tribuna de honra e 250 para camarotes. O estádio ainda contaria com uma tribuna da imprensa com espaço para vinte cabines de transmissão, trinta e dois grupos de sanitários e trinta e dois bares. No total, a área coberta do estádio atingiria 150 mil m², com altura total de 24m. As obras iniciaram-se em 2 de agosto de 1948, data do lançamento da pedra fundamental. Trabalharam na construção cerca de 1.500 homens, tendo se somado a estes mais 2.000 nos últimos meses de trabalho. Apesar de ter iniciado seu uso em 1950, as obras só ficaram completas em 1965.

http://semdivisas.blogspot.com.br/
Maracanã  


Sua inauguração deu-se com a realização de uma partida de futebol amistosa entre seleções do Rio de Janeiro e São Paulo no dia 16 de junho de 1950, vencida pelos paulistas por 3 a 1. O meio-campista da equipe carioca Didi, do Fluminense, foi o primeiro autor de um gol no estádio e o goleiro Osvaldo Pisoni foi o primeiro a levar um gol.

http://semdivisas.blogspot.com.br/
Maracanã 

http://semdivisas.blogspot.com.br/
Setores do Maracanã

wikipedia - Maracanã

Tour Maracanã

Que tal se sentir um craque entrando em campo?
Visite os bastidores do Maraca, da Tribuna de Imprensa aos vestiários, passando pela Tribuna de Honra, pelos camarotes e por um acervo de relíquias dos craques que fizeram a história do templo do futebol mundial. Prepare-se para um universo de sonhos, explorando todos os sentidos, com vídeos, sons e diversas experiências que ficarão para sempre na sua memória.

Horário das visitas: diariamente, das 9h às 17h (de hora em hora)
Duração: cerca de 1 hora
Ingressos Tour Guiado Padrão: 

Segunda-feira a Quinta-feira:
Básico R$ 36,00 (sem direito a estacionamento)
Premium R$ 56,00 (com direito a estacionamento para carro ou van)
VIP R$ 72, 00 (com direito a estacionamento para ônibus)

Sexta, Sábado e Domingo:
Básico: R$ 40,00 (sem direito a estacionamento)
Premium: R$ 60,00 (com direito a estacionamento para carro ou van)
VIP: R$ 76,00 (com direito a estacionamento para ônibus)

os valores devem ser conferidos no site do Maracanã.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *