domingo, 13 de agosto de 2017

MachuPicchu 2° dia

Machu Picchu- Acordamos cedo e as 08:30h já estávamos na fila do ônibus para subir em direção à cidadela de Machupicchu. Chegamos as 09:15h  na portaria de entrada do parque para a verificação do bilhete de entrada.



A partir deste ponto começamos a nos direcionar para a Montanha de Machupicchu.


















Nosso passeio começou pela montanha de Machupicchu, com altura de 3082  m.s.n.m,. seria uma caminhada na vertical de 2km. Todos os blogs que lemos e no próprio local  dizia que era um percurso de 01:40h até o cume da montanha, e que o percurso era fácil. Gastamos 25 minutos da portaria até o ponto de acesso a Montanha.


Aqui realmente começa a subida, com caminhos de pedras irregulares, algumas subidas bem desgastantes, pela mata subtropical.



A vista é muito bonita, visualiza-se os cumes nevados dos andes, algumas vezes uns precipícios, a cidade de Machu Picchu ao longe e algumas borboletas diferentes.  Percebemos que o percurso seria mais desgastante do que imaginávamos, encontramos algumas pessoas voltando dizendo que as 12:00h todos deveriam começar e descer, porque as 14:00h seria fechado a passagem.



Continuamos subindo lentamente e contemplando a vista, a cidadela esta cada vez ficando menor.



Quando vi  a placa de cuidado, fiquei um pouco preocupada, pois ate ali a caminho já estava bem ruim, encontramos mais pessoas voltando dizendo que faltava pouco, uns 10 a 20 min.


Mas o pior ainda estava por vir, chegando neste ponto  encontramos mais pessoas voltando dizendo que faltava mias um pouco, talvez uns 15 ou 20 min, e que a partir daquele ponto o percurso ficava mais difícil e perigoso, com passagens mais estreitas e íngremes.




Subimos mais um pouco, mas quando vimos que a dificuldade havia aumentado em demasia e não havia segurança nenhuma, e eu vi que o próximo percurso era  perigoso, olhei para baixo e tive vertigem. Decidimos não continuar, ate aquele momento havíamos gastado cerca de 01:40h e ainda faltavam algo em torno de 20min de subida íngreme, segundo nos informaram. 


Algumas pessoas desistiram até um pouco antes. Mas isso é individual, porque realmente havia crianças acima de 10 anos fazendo o percurso, eu que resolvi voltar. Edson não quis continuar sem mim e resolveu voltar comigo. 


A descida foi bem mais fácil, mas com o degaste da subida, também cansativa.






Uma pausa na sombra, porque naquele momento já estava próximo ao meio dia e o sol estava queimando.


Chegamos no ponto de controle, que alivio!


Achamos essa sombra, resolvemos descansar, fazer um lanche, e se recuperar fisicamente. As Lhamas ficam em volta pedindo comida...



Depois desse descanso fomos conhecer outras partes do local não visitadas ontem. 


Nos direcionamos para a ponte Inka.  Gastamos aproximadamente 40 min para ir e voltar do ponto de coleta de assinatura



Este trecho é o mais perigoso



E essa é a ponte Inka?!?! Será que era isso mesmo ?!?! Sem graça......



Descansar....o calor estava exaurindo as energias...




















Olha o bebe lhama .....Lindinho....







Depois de muito caminhar pela cidade resolvemos descer para Águas Calientes.




Chegamos ao hotel e nos trocamos para conhecer as termas.













As águas são quentes, mas escuras, com cheiros sulforoso, São quatro piscinas relativamente pequenas para o publico, e cada uma tem uma temperatura variando de 28 a 38ºC. Sinceramente...não vale a pena....ficamos uns 40 min, quando começou a ficar muito cheio fomos embora. A temperatura fora da água era 10ºC !!!



Para compensar a decepção com as termas fomos jantar em um restaurante bem bonito, a comida também foi deliciosa!!!







Fechamos Machu Picchu em grande estilo !!! 

Em resumo, vale a pena ir a Machu Picchu pelo menos uma vez na vida. Para quem não está em plena forma física não recomendo a montanha. O povoado de Aguas Calientes é simpático, mas simples, com opções de hotelaria e restaurantes para vários gostos e bolsos.

Um comentário:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *